As equipas femininas principais de SL Benfica e Sporting CP vão disputar um jogo solidário para Moçambique no próximo dia 30 de março, no Estádio do Restelo.

O jogo, que será o primeiro dérbi entre as equipas femininas dos dois clubes históricos, está agendado para as 16 horas do próximo dia 30 de março, terá transmissão em direto na TVI e toda a receita líquida reverte para a ajuda a Moçambique, que enfrenta uma catástrofe que a todos entristece.

Os bilhetes para assistir ao jogo do Restelo terão preço único de 2,5 euros.

A partida será organizada pela FPF e em jogo estará o Troféu Vicente Lucas, internacional português nascido em Moçambique, nome essencial da história do CF «Os Belenenses» e um dos magriços de 1966.

Além do apoio de SL Benfica e Sporting CP, o jogo solidário conta com o suporte do CF «Os Belenenses» que cede o Estádio do Restelo, da Associação de Futebol de Lisboa e do Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol.

Em declarações ao site fpf.pt, Fernando Gomes, presidente da Federação Portuguesa de Futebol agradeceu aos dois clubes a disponibilidade revelada para este jogo. «É com um sentimento, por um lado, de grande consternação e, por outro, de enorme gratidão que a FPF anuncia a realização de um jogo de solidariedade entre as equipas femininas do Sporting CP e o SL Benfica, a realizar no Estádio do Restelo, e cujas receitas líquidas reverterão na totalidade para a ajuda ao povo moçambicano e às vítimas da terrível tragédia ocorrida na cidade da Beira.
Gostaria de agradecer penhoradamente aos dois clubes a imediata disponibilidade revelada para esta ação concertada de responsabilidade social e igualmente sublinhar que procuraremos, através de outras ações complementares, ajudar a que possam, pelo menos, ser minorados os efeitos desta tragédia.

Nesta altura de grande tristeza, relembro ainda os laços que unem umbilicalmente os dois países e deixo, em nome de todo o futebol português, uma palavra de grande solidariedade a todos os moçambicanos. Juntos, estou certo, conseguiremos ajudar à recuperação do vosso país ».

Luís Filipe Vieira, presidente do Sport Lisboa e Benfica, apelou à forte mobilização dos adeptos.

«O primeiro clássico dos clássicos entre as equipas principais de futebol feminino de duas instituições com a história e dimensão do Sport Lisboa e Benfica e Sporting Clube de Portugal estar associado a uma causa com esta dimensão, num dos momentos mais difíceis por que passa o povo irmão de Moçambique, dignifica todas as entidades que se envolveram nesta iniciativa. Todas as ajudas a Moçambique serão poucas e deixo um apelo para a mais forte mobilização em torno de um jogo que estou certo será um tributo que ficará para sempre como um gesto exemplar».

Frederico Varandas, presidente do Sporting Clube de Portugal, salientou o espírito solidário da iniciativa.

«O Sporting Clube de Portugal é uma instituição desportiva de excelência e com uma vertente de responsabilidade social bem vincada e que faz parte do ADN do Clube desde a sua fundação. Nesse sentido, aceitámos de imediato o convite da Federação Portuguesa de Futebol e juntámo-nos a esta causa. Será com um enorme prazer e espírito solidário que as nossas bicampeãs nacionais vão entrar em campo, no dia 30 de março, para ajudar as vítimas da tragédia ocorrida em Moçambique, um país que diz muito ao Sporting CP. Este é o primeiro dérbi feminino entre as principais equipas do Sporting CP e do SL Benfica, mas é também um excelente motivo para que o Desporto se una de forma a atenuar a dor do povo moçambicano. Contamos com a solidariedade de todos. Ajudar quem precisa está acima de tudo!»

Rosa Cullell , CEO do Grupo Media Capital , declarou a respeito desta iniciativa:
«Este jogo de futebol feminino entre os dois grandes, Benfica e Sporting, reveste-se da maior importância face à tragédia que se abateu sobre o povo moçambicano, e será bem maior que as quatro linhas do campo. Terá a responsabilidade de ajudar Moçambique após a tragédia provocada pelo ciclone” Idai”, o que, neste momento, é um imperativo nacional. A TVI associa-se a esta iniciativa com a Federação Portuguesa de Futebol e agradece aos clubes e às suas equipas que se disponibilizaram de imediato para este encontro inédito».

Joaquim Evangelista, presidente do Sindicato dos Jogadores, lembrou a relação com Moçambique.

«A relação com Moçambique é, mais do que fraterna, uma expressão da lusofonia e por isso toca-nos muito particularmente esta tragédia. Os jogadores e jogadoras de futebol, desporto que reforça a identidade cultural entre os dois países, não podem deixar de estar solidários. A família do futebol deve unir-se por causas e o Sindicato deixa uma mensagem de total disponibilidade para com o povo de Moçambique».

Nuno Lobo, presidente da AF Lisboa, sublinhou a honra por participar nesta iniciativa. «É com enorme honra que a AF Lisboa se associa desde a primeira hora a esta iniciativa solidária com o povo moçambicano. Todos os portugueses devem sentir orgulho pelo facto de o futebol servir causas tão nobres como esta e estar na primeira linha de medidas de ajuda concretas. Ajudar alguém, neste caso um povo com quem temos profundos laços históricos, significa também ajudar-nos a nós próprios, naquilo que mais temos de humano. A AF Lisboa compromete-se assim totalmente com esta iniciativa da FPF, saudando desde já os seus dirigentes pela oportunidade e rapidez com que resolveram atuar em prol de um mundo mais solidário, à semelhança aliás do que já sucedeu no passado. Num estádio histórico, com dois dos maiores símbolos nacionais no relvado, apadrinhados pelo nosso Vicente Lucas, temos, agora, a bola do nosso lado! Vamos todos participar!»

PARTILHA
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe um comentário