BB COM LIDERANÇA ABSOLUTA AO DOMINGO À NOITE

Ontem o BB liderou do princípio ao fim da sua emissão, com uma audiência média de 1 milhão e 113 mil espectadores e uma quota de 27,2%, vantagem de 42,5% em relação à SIC no mesmo horário.

No principal target comercial ABCD 15/54 o BB conseguiu que a distância ainda fosse maior, tendo obtido quase o dobro de quota neste alvo. A TVI fechou com uma quota de 27,1% contra 14% do seu concorrente direto.

O pico máximo de consumo televisivo ontem foi na TVI às 22h46, com uma audiência de 1 milhão e 315 mil indivíduos no programa Big Brother – O Confronto.

A TVI liderou no horário nobre de domingo, com uma quota de 22%, mais um ponto percentual que o seu principal concorrente.

Ontem, a TVI ocupou o lugar cimeiro do ranking de programas, ao colocar dois programas no primeiro e segundo lugares.

 

NOTA: Tipo de Audiência Total Dia

Fonte: CAEM/GfK

NOVA ESTRUTURA DA DIREÇÃO DE INFORMAÇÃO DA TVI

Está constituída a Equipa da Direção de Informação da TVI, com responsabilidades editoriais sobre o canal generalista, TVI 24 e plataformas digitais.

Diretor: Anselmo Crespo
Diretora-adjunta: Lurdes Baeta
Subdiretores: Joaquim Sousa Martins, Pedro Benevides, Pedro Mourinho

A Equipa iniciará os trabalhos no próximo dia 1 de Setembro. Até lá os membros atualmente em funções asseguram, na plenitude, as tarefas necessárias e preparam a transição.

Compete ao Diretor de Informação definir agora as estruturas intermédias e a organização da redação, bem como participar no processo de transformação em curso, com vista à reformulação da oferta da informação da TVI.

Os jornalistas José Alberto Carvalho e Pedro Pinto, dois dos principais rostos da informação da TVI, integram estes projetos com atribuições transversais.

A Informação da TVI manter-se-á distintiva e irreverente. E manterá a credibilidade que a caracteriza, sempre com o objetivo de manter uma relação de confiança com os cidadãos.

A Direção de Informação tem total autonomia editorial, de acordo com a Lei, mas também de acordo com as boas práticas do Grupo Media Capital.

ESCLARECIMENTOS SOBRE ALEGADOS SUBSÍDIOS DO ESTADO AOS ÓRGÃOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

Na sequência de algumas notícias veiculadas a propósito dos eventuais subsídios que o Estado concedeu aos meios de comunicação social, e em particular aos meios do Grupo Media Capital, cumpre-nos esclarecer o seguinte:

Nunca existiu qualquer medida governamental que se traduzisse em subsidiar órgãos de comunicação social e a repetição reiterada desta insinuação feita nos últimos meses nunca fez dela uma verdade.

De acordo com Resolução do Conselho de Ministros, foi aprovada a alocação de verbas para aquisição antecipada de espaço para difusão de publicidade institucional, no âmbito da Pandemia COVID-19. No âmbito desta Resolução foram destinados a este fim 15 milhões de euros, dos quais 3,3 milhões corresponderiam aos meios do Grupo Media Capital que, depois de descontado o IVA a entregar ao Estado, resultariam num pagamento antecipado de aproximadamente 2,7 milhões de serviços a prestar pelos meios do Grupo.

A fundamentação política é boa de ver: o Covid colocou forte pressão na tesouraria das empresas destinatárias desta medida, algumas delas grandes empregadores num setor tão nevrálgico e de grande alcance na prestação de serviços de relevante interesse público. Pelo que, como em relação a tantas outras medidas, foi entendimento do Governo poder antecipar o pagamento de fundos por conta de serviços a serem prestados no futuro imediato.

Insiste-se: foi sempre um mero adiantamento de fundos para pagamento de serviços a virem a ser prestados e nunca um qualquer subsídio à atividade ou um financiamento a fundo perdido ou sem contrapartida certa.

Acontece que, até á presente data, ainda a Media Capital não recebeu qualquer montante.

Antes, tem prestado os serviços que os diversos organismos do Estado lhe encomendam, num valor que ascende atualmente a cerca de 600 mil euros e que vai aumentando à medida de novas encomendas que são dirigidas à Media Capital; tudo sem que tenha ainda existido qualquer contrapartida financeira.

Pelo que, o que seria um apoio à tesouraria da empresa, tem-se revelado como um constrangimento à tesouraria, dado que é a Media Capital que está a avançar com a prestação dos serviços sem o correspondente recebimento.

Daí que, seja com perplexidade e apreensão que vimos assistindo a notícias e insinuações que parecem querer contar uma versão fantasista de uma realidade que não existe, colocando um ónus de imagem e reputação nos órgãos de comunicação social que é imerecido, porque não verdadeiro.

Media Capital, 20.07.2020

BB LÍDER ABSOLUTO DE DOMINGO À NOITE

Ontem o Big Brother atingiu o valor mais alto de sempre com uma audiência média de 1 milhão e 243 mil espectadores, com uma quota de 30.1%.

O programa liderou em todas as faixas etárias, em todas as classes sociais e em todos os géneros.

O pico máximo de consumo ontem em televisão, foi atingido às 22h45 na TVI com uma audiência de quase 1 milhão e 500 mil indivíduos no programa Big Brother – Expulsão.

A TVI ontem teve os dois programas mais vistos do dia.

COMUNICADO DO GRUPO MEDIA CAPITAL À IMPRENSA

CONTRATAÇÃO DO NOVO DIRETOR DE INFORMAÇÃO DA TVI

O Conselho de Administração do Grupo Media Capital vem dar conhecimento público da contratação, pela TVI, de Anselmo Crespo, como Diretor de Informação da TVI.

“Agradecemos a Anselmo Crespo ter aceitado este desafio, que se insere numa estratégia de reforço da qualidade e credibilidade da Informação que a TVI leva diariamente aos portugueses. A qualidade do seu passado profissional dá-nos sobejas garantias de que alcançaremos esses nossos objetivos”, afirmou Manuel Alves Monteiro, administrador delegado do Grupo Media Capital.

A escolha de Anselmo Crespo insere-se na nova estratégia para a informação da TVI, que pretende apostar numa direção com um perfil de liderança irreverente, independente, mobilizador, diferenciador e multidisciplinar.

Com esta Direção, a TVI será capaz de se consolidar como o canal de referência na informação em Portugal, proporcionando ao público uma informação diferenciada, rigorosa e dinâmica, em linha com as melhores práticas.

“Há desafios que nos convocam a trilhar novos caminhos: aceitei participar num projeto televisivo em transformação e numa informação séria que terá apenas a verdade como limite.”, referiu o futuro Diretor de Informação da TVI.

Anselmo Crespo, 40 anos, integrava a Direção da TSF e foi Editor de Política e Coordenador dos principais Noticiários da SIC.

No decurso da próxima semana será anunciada a composição integral da futura equipa diretiva da Informação da TVI. Anselmo Crespo iniciará plenas funções no dia 1 de setembro de 2020.

 

Grupo Media Capital, 18.07.2020

COMUNICADO DO GRUPO MEDIA CAPITAL À IMPRENSA

CONTRATAÇÃO DE CRISTINA FERREIRA

É com grande satisfação que a Media Capital dá conhecimento público que a TVI acaba de acordar com Cristina Ferreira a sua contratação como Diretora de Entretenimento e de Ficção.
“Este regresso à sua casa de sempre enche-nos de satisfação. Cristina Ferreira é querida dos portugueses e esta contratação reforça a estratégia do Grupo Media Capital de estar mais próximo das suas audiências, enriquecendo as áreas de Entretenimento e de Ficção do Canal”, afirmou Manuel Alves Monteiro, Administrador Delegado do Grupo Media Capital.

“Sabemos que a Cristina Ferreira manifestou já junto da Prisa a intenção de adquirir uma participação no capital social da empresa; a concretizar-se, esse facto reforçará a ligação de Cristina ao Grupo e dará um significado ainda mais profundo a este regresso à TVI”, acrescentou.

Cristina Ferreira iniciará funções no próximo dia  1 de setembro de 2020.

NUNO SANTOS É O NOVO DIRETOR GERAL DA TVI

O Conselho de Administração da TVI nomeou hoje Nuno Santos para o cargo de Diretor Geral da TVI, que assumirá funções de imediato.

Nuno Santos, 52 anos, juntou-se ao Grupo Media Capital em janeiro do corrente ano.

Profissional reputado e experiente, dirigiu a programação dos três principais canais e a Informação da RTP, tendo sido também o fundador e primeiro Diretor da SIC Notícias.

Esta escolha, de acordo com o Conselho de Administração da TVI, “inscreve-se na transformação da Companhia que vem tendo lugar e numa visão integrada da atividade da TVI, com o objetivo de colocar o canal e toda a plataforma de conteúdos numa posição de ainda maior destaque no mercado dos media em Portugal”.

Nuno Santos afirma estar “grato pela confiança” e acrescenta: “Conto com todos para esta mudança exigente, sustentada numa organização moderna, ágil e focada no futuro. O conteúdo e as pessoas estão no centro da nossa atividade e teremos o arrojo e a inovação que os tempos pedem. A TVI tem uma inigualável ligação a Portugal e aos portugueses. Saberemos valorizar esse património”.
A nova estrutura da TVI será anunciada brevemente.

Conselho de Administração da TVI, 16 de julho de 2020

Manuel Alves Monteiro é o novo CEO do Grupo Media Capital

O Conselho de Administração da Media Capital informa que Luís  Cabral, até à data Administrador Delegado MC, apresentou renúncia ao seu cargo nos órgãos sociais da Sociedade.

Na sequência desta renúncia, o Conselho de Administração deliberou a designação de Manuel Alves Monteiro, que vem desempenhando funções de administrador não executivo deste Conselho, para o cargo de Administrador delegado da Sociedade.

O Grupo Media Capital regista com profundo reconhecimento o contributo e reconhecida competência com que Luís Cabral serviu a Sociedade, em diferentes áreas de negócio e em diferentes funções, sempre pautando a sua atuação por elevados níveis de rigor e profissionalismo e aproveita a oportunidade para expressar os votos de sucessos futuros.

Nas palavras de Manuel Alves Monteiro “este é um cargo de imensa responsabilidade, que assumirei com o propósito de dar continuidade a uma modernização do Grupo Media Capital. Agradeço a confiança em mim depositada pelo Conselho de Administração e desde já, conto com todos para  juntos fazermos este percurso em direção ao futuro”.

Media Capital Rádios e Rádio Comercial mantêm liderança absoluta

 

Consumo do Meio Rádio aguenta-se mesmo em confinamento

Depois de ter sido reconhecida como a marca com maior reputação no meio Rádio em março deste ano, a Rádio Comercial mantém sua liderança com 14,9% de Audiência Acumulada de Véspera (AAV), de acordo com os resultados da 3ª Vaga do Bareme de Rádio da Marktest de 2020. Embora com uma ligeira descida 2,2 pontos de audiência (AAV) face à vaga anterior, estes resultados permitem reforçar a posição de liderança absoluta da Rádio Comercial pela décima terceira vaga consecutiva. Também em reach semanal e share de audiência, a Rádio Comercial é líder com 34,7% e 24,1%, respetivamente.

A M80 Rádio mantém a posição de terceira rádio mais ouvida do país e regista nesta vaga 6,6% de AAV, também com uma descida de 0,1 de audiência (AAV).

Já a Cidade FM volta a estar na linha da frente das rádios mais jovens, com 2,5% de AAV, uma diminuição de 0,2 de AAV, que a coloca na mesma posição que a concorrente direta, embora com um reach semanal e share de audiência superiores.

Isto significa que, nesta 3º Vaga de 2020, o Grupo Media Capital Rádios é líder em Audiência Acumulada de Véspera (AAV) com 22,8% e lidera também em Share de Audiência com 39,1%.

A 3ª vaga é a que melhor reflete o período de confinamento, com uma clara diminuição geral do consumo de rádio. Ainda assim, para Salvador Bourbon Ribeiro, CEO da Media Capital Rádios, “numa vaga em que o país esteve confinado em 87,5% do tempo, o consumo de rádio só cair 7% é absolutamente revelador da importância do meio”.

Rádio Comercial dedica emissão especial de sábado ao festival Marés Vivas

 

 

Entrevistas com artistas que passaram no festival em edições anteriores, música, ou histórias e momentos marcantes são algumas das coisas que vão poder ouvir-se na tarde do dia 18 de julho

 Este ano não há festival na Praia do Cabedelo, mas há Marés Vivas na Rádio Comercial, no próximo dia 18 de julho. No sábado em que o Meo Marés Vivas iria realizar-se, a Rádio Comercial faz uma emissão especial sobre este festival, do qual é media partner há 10 anos, ao longo de toda a tarde. E os ouvintes são convidados a participar.

Entre as 14h e as 20h, com a apresentação de Joana Azevedo, Pedro Ribeiro, Diogo Beja e Rita Rugeroni, passa na antena da Comercial todo o espírito deste “mítico festival mesmo à ali à beirinha do Douro”, com entrevistas a artistas que por lá passaram em edições anteriores, música e os famosos hinos do Marés, da autoria do Vasco Palmeirim.

À semelhança do que já aconteceu na emissão de sábado passado (11 de julho) – dedicada ao festival NOS Alive -, na emissão especial do Marés Vivas também não serão esquecidas as histórias e momentos marcantes do maior evento anual de música em Vila Nova de Gaia. E aqui, os ouvintes são convidados a partilhar episódios caricatos que lhes tenham acontecido numa qualquer edição do festival, através do Whatsapp.

Mais informação em Rádio Comercial